Fado de Coimbra

Quanto ao Fado de Coimbra, um ex-libris da cidade conhecido em todo o mundo, canta-se nas festas universitárias ou outras solenidades ligadas à vida académica. Diferente do Fado de Lisboa, o Fado de Coimbra é normalmente cantado na escuridão com solenidade e no meio de grande silêncio e nostalgia e, por tradição, só pode ser cantado por vozes masculinas.

Está associado aos temas do amor – simbolizado nas célebres serenatas à pessoa amada – e do findar de um ciclo da vida concretizado na despedida da universidade. Como se canta num dos fados que mais significado tem para os estudantes finalistas, a “Balada do 6º ano de Medicina”, da autoria de Fernando Machado Soares e Edmundo Bettencourt, “Coimbra tem mais encanto na hora da despedida”.